Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

always there



Sexta-feira, 16.04.10

Sabes, Juliana?

Sabes Juliana, nem sempre fui amarga. Nem sempre fui doce e amarga. Já fui doce. Extremamente e exclusivamente doce. Até a minha mãe me disse no outro dia: «-Tenho saudades de quando eras muito doce.» Mãe, minha mãezinha. Também eu tenho saudades. Também eu queria voltar a ser doce, exclusivamente doce. Mas eu cresci. É uma pena, não é mãe? Eu queria tanto voltar a ser assim, mas é tão difícil. Desculpa este parentêses Juliana. Voltando a ti, também hoje disseram à minha mãe: «-Onde está a tua filha de sorriso de orelha a orelha?». E sabes o que a minha mãe lhe disse? «-É a minha Catinha.» Enquanto me contava retribui-lhe o sorriso mas pensei: não é a tua Catinha, era mãe, era. Eu só lhe queria dizer que nos perdemos no caminho. Que tenho tanta pena que ela me tenha deixado sozinha. Que ela nem sabe o que sofri com a sua ausência. Que ela me perdeu e eu me transformei. Mas eu vou procurá-la. Juro-te que vou, mãe. Se é assim que te faço feliz, assim extremamente doce, eu vou fazê-lo. Eu faria tudo para te ver feliz, mãe. Eu só te quero bem.
Vês, Juliana? Como consigo ser doce sem ser amarga.

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

De fii a 19.04.2010 às 19:58

também te adicionei (:
bonito post *.*

beijinhos ;

De Juliana. a 13.05.2010 às 16:09

sei o quanto consegues fazer para ser a melhor pessoa do mundo. e sabes que quando te digo que és cruel, é porque nem sempre tomas o caminho certo. não quero que vás por onde te digo, mas por onde achas melhor. eu sei que faria o mesmo, catie*

Comentar post



 [aqui dentro é para quando passar com o rato por cima aparece um balao de informacao]

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

 [aqui dentro é para quando passar com o rato por cima aparece um balao de informacao]